7º Prêmio de Arquitetura Instituto Tomie Ohtake Akzonobel abre inscrições para 2020

7º Prêmio de Arquitetura Instituto Tomie Ohtake AkzoNobel

O Instituto Tomie Ohtake e a AkzoNobel continuam a mapear a produção arquitetônica contemporânea, ao destacarem, pelo sétimo ano consecutivo, projetos significativos construídos no panorama atual brasileiro. A relação urbana e o comprometimento com o sítio de implantação e a sustentabilidade, bem como a inventividade projetual e construtiva são os critérios fundamentais que norteiam o 7º Prêmio de Arquitetura Instituto Tomie Ohtake AkzoNobel.

Para essa sétima edição, as inscrições (gratuitas) devem ser feitas online, de 28 de abril a 05 de junho de 2020, no site http://premioarquitetura.institutotomieohtake.org.br/, no qual há informações completas sobre a premiação, como edital, plataforma de inscrição etc. Podem se inscrever arquitetos brasileiros ou estrangeiros que vivam no Brasil há pelo menos dois anos e que apresentem projetos construídos durante os últimos dez anos.

O júri, formado pelos arquitetos Diego Mauro, Elisabete França, Fernando Túlio, Juliana Braga e Pedro Varella, anunciará os dez trabalhos selecionados que participarão da exposição na sede do Instituto Tomie Ohtake, que estará aberta ao público de 18 de novembro de 2020 a 07 de fevereiro de 2021*. Na inauguração do evento, serão anunciados os três projetos premiados que receberão uma viagem internacional destinada a um membro da equipe de arquitetos responsáveis pelo projeto. *A data pode sofrer alterações em virtude dos impactos causados pela pandemia do novo coronavírus.

Desde sua primeira edição (2014), o Prêmio de Arquitetura Instituto Tomie Ohtake AkzoNobel recebeu 1.155 projetos inscritos, provenientes de 21 Estados e do Distrito Federal. Na edição passada, 2019, os três premiados foram Pedro Varella (gru.a – grupo de arquitetos) com o projeto A Praia e o Tempo (Rio de janeiro/RJ); Vinicius Andrade, Marcelo Morettin, Marcelo Maia Rosa e Renata Andrulis (Andrade Morettin) e Guido Otero e Ricardo Gusmão (GOAA Gusmão Otero Arquitetos Associados) com o projeto Beacon School (São Paulo/SP) e Cristiane Muniz, Fábio Valentim, Fernanda Barbara e Fernando Viégas (Una Arquitetos), com o projeto Casa 239 (São Paulo/SP).

Coube ao escritório MAPA Arquitetos a Menção Honrosa pelo projeto Capela em Sacromonte (Sacromonte, Maldonado, Uruguai) Já a Menção Honrosa Sustentabilidade foi dedicada à Casa das Birutas (Piracaia, SP), do escritório Gera Brasil Arquitetura e Consultoria, enquanto a Menção Honrosa Cor foi conquistada pela Sede Castanhas de Caju (Bom Jesus das Selvas, Maranhão), projetada pelo Estúdio Flume.

Sobre o júri

Diego Mauro – Arquiteto e urbanista, integrante do Núcleo de Pesquisa e Curadoria do Instituto Tomie Ohtake e professor no curso de Arquitetura e Urbanismo da Unib – Universidade Ibirapuera. É mestre pela USP (Universidade de São Paulo) e graduado pela UFBA (Universidade Federal da Bahia), onde também atuou como professor temporário de projeto, em 2012.

Elisabete França – Arquiteta Urbanista, com mais de trinta anos de experiências em projetos urbanos, ambientais, habitacionais e de mobilidade urbana, atualmente é Diretora de Planejamento e Projetos da CET (Companha de Tráfego de São Paulo) e integra o corpo docente da Faculdade de Arquitetura da Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP). Ao longo de toda a vida profissional tem participando da curadoria de exposições com destaque o Pavilhão Brasileiro na Bienal de Veneza e na Bienal de Rotterdan. Membro do corpo de jurados do Urban21, Prêmio AsBEA, Schindler Global Award (2017), Concurso Público Nacional para a Sede IAB/DF + CAU/BR, entre outros.

Fernando Túlio – Presidente do Instituto de Arquitetos do Brasil – São Paulo, gestão premiada em 2019 pela APCA na categoria Arquitetura. Integrante da comitiva brasileira de 2020 para o Programa de Liderança Executiva em Desenvolvimento da Primeira Infância de Harvard. Graduado pela FAU-USP, mestre em políticas públicas pela FGV e doutorando pela FAU-USP. Foi pesquisador do Lincoln Institute of Land Policy (EUA), do Laboratório de Direito à Cidade e Espaço Público (LabCidade), do Laboratório de Infraestruturas Urbanas Fluviais (Metrópole Fluvial), ambos da FAU-USP, e do Centro Argentino de Implementação de Políticas Públicas para Equidade e Crescimento (CIPPEC). Foi assessor especial de gabinete e chefe de gabinete substituto da Secretaria de Desenvolvimento Urbano da Prefeitura de São Paulo entre 2013-2016. Foi presidente do Conselho Curador da FAU-USP, entre 2009 e 2011.

Juliana Braga – Arquiteta e urbanista formada pela FAU-USP em 2004. Possui mestrado (2010) e doutorado (2018) pela mesma instituição, com pesquisas sobre as contribuições de Flavio Motta ao campo da arquitetura e do ensino. Foi colaboradora e associada ao escritório SPBR arquitetos (2004 a 2014) e sócia do escritório Vereda arquitetos (2016 a 2019). Atualmente desenvolve projetos e pesquisas de modo autônomo e em parcerias diversas. É professora de projeto na Escola da Cidade e na FAU-USP.

Pedro Varella – Pedro Varella é arquiteto baseado no Rio de Janeiro. Tem graduação e mestrado pela FAU-UFRJ e desde 2016 atua como professor em diversas instituições. É sócio fundador do coletivo gru.a, através do qual desenvolve trabalhos de diferentes escalas e naturezas, com especial interesse na interseção entre os campos da arquitetura e da arte contemporânea. Varella teve sua produção reconhecida por meio de prêmios e exposições, dentre os quais o Prêmio anual de Arquitetura do Instituto Tomie Othake AkzoNobel (2015 e 2019) e o primeiro lugar no concurso nacional para o centro de preservação da casa de Rui Barbosa (RJ, 2012). Recentemente, o seu estúdio gru.a foi finalista do prêmio DEBUT MILENIUM BCP, concedido pela trienal de arquitetura de Lisboa.

O Prêmio – O Prêmio busca reconhecer as produções arquitetônicas de destaque na cena contemporânea brasileira, valorizando as formas inovadoras de pensar e construir o espaço social, contribuindo, assim, com o desenho do panorama atual da arquitetura nacional nos seus mais variados contextos. Os projetos selecionados participam da exposição na sede do Instituto Tomie Ohtake, registrada em catálogo, e os premiados, anunciados na inauguração da mostra, são contemplados com viagens internacionais.

O Prêmio de Arquitetura Instituto Tomie Ohtake AkzoNobel é resultado de uma parceria entre o Instituto Tomie Ohtake e a AkzoNobel, multinacional holandesa que atua nos segmentos de tintas, revestimentos e especialidades químicas, e se insere nas perspectivas do Instituto, enquanto instituição cultural, ao promover iniciativas no campo da arquitetura, do urbanismo, das artes plásticas e do design.

Contatos:
Prêmio de Arquitetura Instituto Tomie Ohtake AkzoNobel
http://premioarquitetura.institutotomieohtake.org.br/

Instituto Tomie Ohtake
(11) 2245-1900
http://institutotomieohtake.org.br/

AkzoNobel
0800 11 77 11
https://www.akzonobel.com/en/br

 

Arqbrasil conecta