Arquiteto Thiago Mondini orienta sobre as vantagens e desvantagens das opções disponíveis de lareiras

 

O frio está batendo na porta e, com ele, chega a necessidade de ambientes aquecidos e mais aconchegantes. Como um dos lugares preferidos para momentos de lazer junto à família é a sala, o ideal é mantê-la agradável em uma noite fria e, nessas horas, a lareira é um equipamento que pode ser seu aliado. Além de trazer benefícios em relação a temperatura do cômodo, o equipamento também oferece um charme a mais para a decoração do espaço.

Mas, antes da escolha final, é preciso saber quais os modelos que existem e, entre eles, qual atende as suas expectativas. Para ajudar, o arquiteto Thiago Mondini explica quais as opções existentes no mercado, e as vantagens e desvantagens de cada uma.

Lareiras a lenha: é o modelo tradicional. Necessita de uma chaminé e a parte interna deve ser executada corretamente para que não haja retorno da fumaça. Normalmente é executada em alvenaria e pode receber os mais diferentes tipos de acabamentos na parte interna e externa. É comum que haja, ao lado ou abaixo, espaço para guardar a lenha.

• Vantagens: ideal para quem gosta de manter tradições; como normalmente precisa ser grande, permite explorar melhor a solução arquitetônica da lareira.
• Desvantagens: o cheiro da lenha queimada pode ser um incômodo; necessita de duto de exaustão; demanda limpeza constante, tanto da lareira quanto da área de armazenamento da lenha.

Lareiras elétricas: modelo bastante prático que permite a instalação em qualquer ambiente. O calor é produzido através de eletricidade, mas os equipamentos costumam ter uma imagem de chama falsa em tela.

• Vantagens: facilidade de instalação; não produz resíduos; praticidade para ligar e desligar (inclusive com controle remoto); solução de custo normalmente mais acessível.
• Desvantagens: a chama é virtual e dá um efeito “fake”; pode impactar no consumo de energia, dependendo da potência.

Lareiras a gás: com algumas vantagens em relação ao modelo tradicional, a lareira a gás funciona como um fogareiro. Precisa de ponto de gás e ponto elétrico para acendimento. Permite diversas soluções arquitetônicas e dá um efeito muito bom. Não precisa de exaustão. Há modelos com acendimento por controle remoto.

• Vantagens: sem cheiro; sem necessidade de duto; facilidade de uso; permite controle da chama através da vazão do gás.
• Desvantagem: precisa ser prevista em obra, pois é necessário providenciar o ponto de gás (portanto, pode ser difícil executá-la em obras prontas ou reformas).

Lareira ecológica (etanol): as lareiras a álcool não geram resíduos ou fuligem e, portanto, não demandam muita limpeza e manutenção. Bastante práticas, podem ser instaladas de diversas maneiras, dando maior versatilidade aos projetos (não precisam de ponto de energia ou de alimentação de gás, nem de depósito de material nas proximidades). Existem modelos pequenos, portáteis, bastante decorativos.

• Vantagens: versatilidade; facilidade de instalar; nenhum consumo de energia elétrica; limpeza.
• Desvantagem: deve ser abastecida a cada uso (e o abastecimento deve ser feito com a peça resfriada).

Serviço:
Thiago Mondini
(47) 3322-8815
http://www.thiagomondini.com.br