top

 

 

Home Arqbrasil

 

• Estúdio Pólis - Arquitetura e Urbanismo / PR

Home Arqbrasil

 

Alexandre Vinícius
Thaise Andrade

 

 

 

 

Fundado em 2014, o escritório desenvolve projetos em diversas escalas e programas. Procurando soluções abrangentes nas áreas de projeto arquitetônico, arquitetura de interiores, paisagismo e projeto urbano.

 

55 (41) 3082-8257| @ | WEB |

 


 

 

Share

 

 

 

Arquitetura
 Interiores

Comercial

 

Bar do Simão | Curitiba / PR

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O conceito de liberdade pode ser visto em todo o projeto arquitetônico e visual da casa, elaborado pelos arquitetos Alexandre Vinicius, Thaíse Andrade e Leonardo Bueno, sócios do Estúdio Pólis, pelo arquiteto Rafael Ribas e pelo designer e artista visual, Alan Amorim. “O Bar do Simão sempre foi um lugar aberto às diferenças e acolhedor para todos se sentirem à vontade, sem julgamento.

Não tivemos dúvidas em explorar esse conceito e criar ambientes que estimulassem a liberdade. Nossas principais inspirações foram o empoderamento LGBTQI+ e a liberdade de ser quem se é”, afirmam os arquitetos do Estúdio Pólis.

Um dos ambientes que podem ser encontrado na casa é um lounge todo cor de rosa. “A inspiração foi a geração millennial, em específico o conceito dos filtros das redes sociais e dos videoclipes, tornando o ambiente mais fotografável e, portanto, mais identificável. Sendo o espaço mais calmo da casa, no qual as pessoas vão para descansar, conversar e paquerar, a lógica foi concretizar o filtro como a identidade da geração frequentadora. Em conjunto com o rosa, o azul no banheiro faz referência à bandeira do orgulho trans, homenageando essa comunidade”, revelam.

No primeiro andar, é possível encontrar um ambiente mais underground. “Já para a pista e o bar debaixo, nós quisemos manter a ideia de um espaço escuro, onde a identidade underground do bar fosse reforçada pela iluminação pontual. Também fizemos uso de neons, o que reforça a identidade visual do Bar do Simão, assim como os personagens criados pelo Alan Amorim, aplicados na forma de lambe-lambe na área externa da casa. O conjunto reforça o universo de desconstrução, liberdade e resistência como DNA do ambiente”, salientam.

Os lambe-lambes, feitos por Alan Amorim, revelam a sua produção autoral, que trata de questões políticas, de sexualidade e gênero. “Meu trabalho é estruturado em cima da colagem como técnica e conceito. Por meio dela, desconstruo minha matéria-prima, que normalmente são revistas e publicações antigas, e atribuo a ela novos significados.

Nisso, acho que a colagem cai como uma luva para aquilo que quero transmitir”, explica e acrescenta: “Crio personagens que brincam com noções de gênero e sexualidade, de masculino e feminino, a partir de fragmentos que eu trago para um novo contexto. Fui convidado para o projeto com a ideia de que eu levasse essa pegada para a identidade nova do bar.

Queríamos nos posicionar como uma casa LGBTI+ e pensei em criar ilustrações-colagens que representassem um universo de personagens de diversas identidades diferentes, que carregassem neles uma ideia de diversidade e também de estranheza.”

Segundo Amorim, o objetivo era criar uma identidade que brincasse com contrastes. “O lounge, por exemplo, que é todo rosa e elegante, contrasta com a parte debaixo do bar, que tem a ideia de ser mais underground. Os lambes ajudam a criar essa atmosfera, por ser uma arte de rua, mais rústica e tudo mais (e normalmente subversiva).

Pra mim foi bastante importante criar uma identidade que não fosse apenas um reflexo da cultura gay padrão (utilizar só rosa, só homens musculosos, etc. Uma das características do meu trabalho é justamente satirizar o corpo masculino), e sim uma identidade que abrangesse mais todo o espectro, trazendo representações lésbicas, transexuais e assim vai”, revela.

“Em cada canto da casa, em cada pedaço da identidade, existe um pensamento de representatividade, um olhar voltado aos membros da nossa comunidade, e um posicionamento frente à situação política atual que enfrentamos. Os bares gays, desde sempre, são não apenas locais de encontro, mas de resistência”, conclui.

 

Fotografia: Fabiano Claro

 

 

 


 

 

 

 

 

 

Buscar no Portal>>

 

 

©Jizcom / https://arqbrasil.com.br  - O espaço da arquitetura brasileira